Interativo Vale a pena transferir o crédito à habitação?

Mude os campos sublinhados para descobrir quanto pode poupar se renegociar ou transferir o seu crédito à habitação.
Artigo atualizado a 18-08-2021

Quem contratou um crédito à habitação com um spread – a margem de lucro que o banco adiciona à taxa de juro de referência – mais alto que os negociados atualmente, pode estar a pagar mais pelo empréstimo do que deveria. É normal que o custo dos empréstimos para a compra de casa varie ao longo dos anos e existem instituições bancárias que propõem regularmente novos spreads a quem possui um crédito à habitação – seja ou não cliente atual.

Pode ser uma boa altura para renegociar o empréstimo da casa junto do seu banco ou para estudar a mudança do crédito para outra instituição financeira. Antes disso, é importante fazer contas e confirmar que a operação vale a pena.

Faça as contas: Quanto poupa se transferir o crédito à habitação?

Com uma dívida de euros num empréstimo que se vence em anos, uma redução do spread de % para % baixa a prestação de 370,62 euros para 311,18 euros, assumindo um indexante (Euribor a 12 meses, por exemplo) em %. Nestas novas condições, poupa cerca de 21 398 euros em juros ao longo da vida do financiamento.

Infelizmente, o seu computador não permite conteúdo interativo. Não vale a pena alterar os números sublinhados.

Caso planeie mudar de banco, confirme que esses 21 398 euros mais que compensam os custos de contratar um novo empréstimo, como a comissão de estudo e a avaliação do imóvel. A ficha de informação normalizada europeia, o documento que as entidades de crédito são obrigadas a fornecer aos consumidores após as simulações, contém a lista de todas as despesas que se registarão durante o período de financiamento.

Atenção: Mais encargos, menos poupança

É também necessário contabilizar o diferente nível de encargos mensais dos empréstimos. Os bancos têm políticas díspares de comissionamento. É preciso consultar novamente a ficha de informação normalizada europeia para somar as várias comissões (por exemplo, de manutenção de conta e do cartão de débito) e os prémios dos seguros (vida e imóvel).

Se o novo crédito acarreta, em média, euros por mês nesses custos em vez dos euros do empréstimo original, a poupança ao longo dos 30 anos será de 22 838 euros. Vale a pena mudar.

A transferência do crédito à habitação implica ainda a amortização antecipada da dívida junto do seu banco atual e a contratação de um novo empréstimo noutra instituição. Os bancos podem cobrar por essa amortização antecipada. Confirme no documento complementar anexo à escritura da compra do imóvel. O limite legal é de 0,5% do montante transferido nos contratos com taxa de juro variável (500 euros neste caso) e de 2% nos restantes empréstimos para a compra de casa (2 000 euros).

Há instituições de crédito no mercado interessadas em captar mais clientes para o seu negócio. Em alguns casos, estão dispostas a reembolsar os novos clientes da comissão de amortização antecipada do empréstimo. Antes de contratar um novo crédito à habitação, negoceie as melhores condições para as suas finanças pessoais.

Proteja o seu crédito à habitação

Ninguém sabe o dia de amanhã. A modalidade Montepio Proteção – Crédito Habitação protege a sua família caso a vida lhe troque as voltas e não consiga fazer face aos encargos com o crédito à habitação.

Ao subscrever esta modalidade mutualista assegura o pagamento do crédito à habitação em caso de morte ou invalidez e não lhe é cobrada qualquer comissão. Caso a subscrição seja feita com outro Associado, beneficia de 50% de redução no pagamento da quota mais baixa.

Ler mais

Este artigo foi útil?

Se ficou com dúvidas ou tem uma opinião que deseja partilhar, preencha o formulário abaixo para entrar em contacto connosco.

Torne-se Associado

Saiba mais