10 brincadeiras de praia para fazer com as crianças

Quase todas as crianças adoram frequentar a praia. Apesar de, por si só, ser uma ocasião mágica, existem brincadeiras que podem maximizar este momento em família. Sugerimos-lhe algumas.
Artigo atualizado a 19-08-2022

Além do clima ameno, único na Europa, Portugal continental tem mais de 3 000 horas de sol por ano e 850 quilómetros de praias banhadas pelo Oceano Atlântico. Razões mais que suficientes para desfrutarmos em família, sobretudo entre março e outubro, das praias portuguesas.

Chegados ao areal, existem muitas brincadeiras para fazer com as suas crianças, sempre em segurança e aproveitando ao máximo este recurso natural. Conheça algumas.

Brincadeiras na areia: 10 atividades para as crianças na praia

1. Jogar futebol

O desporto-rei é uma das atividades mais democráticas do mundo: basta uma bola para fazer as delícias de crianças. Jogar à beira-mar, na areia molhada, facilita a tarefa dos mais jovens. Até aos cinco anos, prefira as bolas mais leves e pequenas, que possam ser facilmente chutadas pelas crianças. A partir dessa idade, pode levar uma bola de voleibol para a praia, por exemplo, e improvisar uma bola de futebol.

As crianças adoram a adrenalina de marcarem golos e celebrá-los como os seus ídolos. Por isso, construa duas balizas – com chinelos ou montes de areia – para lhes dar a sensação de marcarem golos decisivos ou defenderem os remates dos pais ou irmãos.

2. Fazer castelos na areia

“Eventualmente, os castelos de areia acabam no mar”, cantava Jimmy Hendrix em 1967, no álbum Axis: Bold as Love. É inevitável: todos os castelos de areia que fizermos com as crianças vão parar ao mar. No entanto, o prazer desta atividade prende-se com o processo criativo de pensar o que se vai fazer. E executá-lo ao detalhe.

O senso comum diz–nos que a areia fina suporta melhor este tipo de construção. Antes de começar a construir a sua fortaleza, porém, tenha atenção ao mar: guarde alguma distância de segurança das ondas e veja se a maré está a encher ou a vazar.

Comece por ajudar as crianças a construir um bloco firme por baixo, que irá segurar toda a parte de cima. A partir daqui, a criatividade da criança e os dotes de engenharia dos pais ou outros familiares terá de vir ao de cima. Por fim, depois de construído o edifício, tire uma fotografia para a posteridade.

3. Chapinhar nas piscinas de água

À medida que a maré enche e vaza, pequenas piscinas vão-se formando ao longo da areia, junto ao mar. É habitual observar as crianças, sobretudo as mais jovens, a regozijar-se com a água destas pequenas poças – normalmente mais quente que a água do mar.

Trata-se de uma brincadeira segura e que obriga as crianças a despender algumas energias, uma vez que estão em permanente movimento: quer a construir diques para a água passar ou ficar retida; quer, no caso das crianças mais jovens, a brincarem com os baldes e outros apetrechos típicos de uma ida à praia.

4. Jogar à petanca

Este jogo de origem francesa é ideal para passar o tempo, por exemplo, quando as crianças ainda não fizeram a digestão para ir ao banho. Um dos grandes benefícios da petanca é permitir que várias pessoas possam jogar e divertir-se. E as regras são bastante simples. Para começar, bastam duas equipas para que o jogo possa acontecer. Estas podem ser constituídas por três jogadores (triplete), dois jogadores (duplete) ou um jogador (individual).

Cada jogador tem direito a uma bola de tamanho médio, mas no centro do jogo está uma bola mais pequena, que deverá ser lançada a uma distância entre seis e dez metros dos jogadores. A equipa escolhida para lançar esta bola deve desenhar um círculo no chão, que não deve ser ultrapassado pelos jogadores durante o lançamento.

O objetivo do jogo é lançar as bolas o mais próximo possível da pequena bola – quanto mais perto, mais pontos ganha. É uma espécie de jogo da malha, mas com bolas e que pode ser jogado em todo o lado, incluindo na areia.

5. Jogar raquetes

É um clássico da praia e pode começar a praticar esta modalidade com o seu filho a partir do momento em que ele consegue pegar na raquete. Prepare-se, no entanto, para ir buscar a bola regularmente ao chão. É um jogo complicado para as crianças mais jovens, mas não desespere. Incentive-o a ser melhor. A partir dos seis anos, e, com o treino, conseguirá trocar algumas bolas com o seu filho.

Se possível, opte por uma raquete um pouco mais pesada e bolas leves, para que as crianças consigam impulsioná-las para si. Idealmente, deverá jogar raquetes no areal molhado em frente ao mar. Se tal não for possível e jogar na areia seca, onde é mais difícil deslocar-se, os dois jogadores cansar-se-ão mais rapidamente. No entanto, quando chegar a hora de dormir, o seu filho não dará luta para adormecer.

Clube Pelicas: brincar é na praia, na cidade, no campo

Transmitir às crianças o que é o mutualismo e os seus valores de igualdade, respeito pelo próximo, não discriminação e solidariedade é principal objetivo do Clube Pelicas. E é possível passar esta mensagem através de atividades interessantes para todos os sócios deste clube, ou seja, todos os associados Montepio com idade até aos 10 anos.

Além de beneficiarem de descontos em dezenas de parceiros especializados em diversão infantil, formação, lazer, desporto e bem-estar, os sócios do Clube Pelicas têm ainda à sua disposição, nos espaços mutualistas atmosfera m de Lisboa e do Porto, a possibilidade de participarem em campos de férias nas pausas de escola, aulas de ioga, de teatro, oficinas várias e brincadeiras durante todo o ano.

Mas também pode levar o Clube Pelicas para as brincadeiras da praia do seu filho. Como? Imprima este Jogo do Stop e puxe pela cultura geral de todos na pausa dos mergulhos.

6. Jogar voleibol de praia

As bolas de voleibol servem para vários tipos de brincadeiras na praia, sendo ideais, por exemplo, para jogar futebol. No entanto, é a trocar passes de voleibol entre pai para filho, dentro ou fora de água, que mais brilham. Esta é uma atividade que deve ser realizada com cuidado se a praia for frequentada por muitos banhistas. Porém, trata-se de uma das brincadeiras mais prazerosas que poderá fazer com o seu filho, se este tiver uma idade mais avançada: a partir dos oito anos.
Esta brincadeira torna-se mais divertida quando é praticada por várias pessoas, crianças e adultos, que podem fazer uma roda e passar a bola às outras.

7. Praticar bodyboard

Para quem quer divertir-se, o bodyboard não tem muita ciência. Basta ter uma prancha e apanhar uma onda, seja grande ou pequena. Pais e filhos podem praticar bodyboard juntos, sempre com cuidado para não atingirem outros banhistas na praia, por um lado, ou irem contra potenciais rochas no mar, por outro.

Se mora perto da praia, pode inscrever o seu filho nas várias escolas de bodyboard que existem na costa portuguesa. Por exemplo, os associados Montepio beneficiam de 20% de desconto na Surf At, escola de surf e bodyboard com aulas na praia da Maçã e praia Grande, Sintra, e praia de Carcavelos, Cascais.

8. Desenhar na areia

A facilidade com que manejamos a areia é ideal para dar asas à criatividade e desenharmos o que nos vier à cabeça. Esta pode ser uma das brincadeiras mais engraçadas para fazer com as crianças. Aproveite a areia molhada e comece a desenhar uma casa, um mapa, um animal. Deixe o seu filho ajudá-lo a completar o desenho e, mais tarde, incentive-o a fazer um só dele.

Se o seu filho acabou de começar o ensino básico, é normal que queira mostrar aos seus pais o que aprendeu na escola. Assim, mal o desenho esteja terminado, incentive-o a assiná-lo com o nome. Depois, é só tirar uma fotografia e imortalizar o momento.

9. Fazer corridas de Fórmula 1

O seu filho gosta de carros? Há uma brincadeira que vai adorar: fazer corridas no areal. O primeiro passo é construir uma pista, de preferência na areia seca. Decida qual o perímetro do espaço e comece a escavar, com a mão, um caminho no qual os carros improvisados passarão. Construa a pista a meias com o seu filho: curvas, contracurvas, a reta da meta. Molde uma espécie de duna para evitar que os “carros” saiam da pista: se tal acontecer, terão de voltar para o início da última volta.

Em vez de carros em miniatura, opte por caricas de garrafas de sumo ou outras bebidas. Empurre-as com o polegar e o dedo médio e melhore a destreza à medida que a corrida avança. No final da brincadeira, não se esqueça de recolher as caricas e colocá-las no lixo.

10. Jogar futebol-humano

Esqueceu-se de levar uma bola para a praia? Não há problema. Além de todas as outras brincadeiras partilhadas neste artigo, pode ainda praticar futebol humano. Trata-se de um jogo com duas equipas de dois ou três elementos, num campo dividido ao meio. Cada uma das equipas defende a sua linha final, ao mesmo tempo que tenta atacar a linha final contrária. Se um dos jogadores conseguir fazê-lo sem que ninguém da outra equipa lhe toque, marca um ponto e o jogo recomeça do ponto de partida.
Se quiser adicionar alguma complexidade, pode dividir uma metade do campo em duas ou três, convidando mais jogadores para o jogo. Assim, o jogador tem de passar por vários níveis até chegar à linha final.

6 conselhos para ir à praia

Além de consultar a Info Praia para perceber se a praia que pretende frequentar tem espaço suficiente para as brincadeiras que irá fazer com as suas crianças, existem outras recomendações que deve levar a sério quando leva a sua criança para o areal. Fique com alguns conselhos da APA (Agência Portuguesa do Ambiente) para que tudo corra bem na sua ida à praia.

  • Evite as horas de maior calor (prefira o início das manhãs e finais de tarde);
  • Use sempre protetor solar com um índice adequado à idade e tipo de pele. No caso das crianças, o índice 50 é o ideal;
  • Beba regularmente líquidos, de preferência água:
  • Nade em paralelo à linha de água, no seu pé;
  • Nos rios e albufeiras tenha em atenção aos fundões e correntes;
  • Não deixe lixo na praia. À saída, coloque-o nos contentores respetivos.

Ler mais

Mais sobre

Crianças e jovens , Lazer

Este artigo foi útil?

Se ficou com dúvidas ou tem uma opinião que deseja partilhar, preencha o formulário abaixo para entrar em contacto connosco.

Torne-se Associado

Saiba mais